31.3.14

Sei que tens ideias, que imaginas romances, que lês jornais e, mesmo que por vezes não o admitas, te preocupas com o que se passa em Portugal. Mas eu caguei para ser importante ou global. É demasiada pressão, é como ter o celular a tocar permanentemente. Não vou salvar o mundo inteiro. Não quero saber, segundo a segundo, se há um terramoto na Ásia, uma revolução em África ou que vestido levou certa triz a determinada cerimónia. Vim para aqui para estar longe de todo esse ruído [...] Quero dedicar tudo o que tenho e que amo apenas a uma coisa: fazer com que a minha vida tenha beleza e emoção. Que seja mais divertida do que aborrecida. E mesmo na perda e na dor, porque dor haverá, que isso sirva para transformar e não destruir.

Enquanto Lisboa arde, 
o Rio de Janeiro pega fogo.

HUGO GONÇALVES


Rio de Janeiro,
paraíso de ascensão e queda, morte e ressureição, metrópole do mato onde tudo é emocionalmente excessivo. Rio: malas de grife e iphones de Miami, mendigos sem camisa, botecos pé sujo lado a lado com shoppings cartão de platina, a generosidade de uns, a malandragem de outros, a hipérbole do bem e do mal, da felicidade e da tragédia, do futurista e do esclavagista, da bicha libertina e da evangélica fanática.

Enquanto Lisboa arde, 
o Rio de Janeiro pega fogo.

Nem todos temos fome das mesmas coisas. Essa sua voragem, essa sua maneira de viver, não tem de ser válida para os outros. Não há uma fórmula única. E, mesmo que encontremos uma fórmula. ela não vai servir para sempre.Tudo muda.

Enquanto Lisboa arde, 
o Rio de Janeiro pega fogo.
Cospes agora no prato que te alimentou. Mas também tu te deixaste ir. Não gostaste de dizer-te europeu em várias partes do mundo, como quem fala de um antepassado famoso ou do carro que acabou de comprar?
Não gostaste de usar o mesmo dinheiro que os franceses? E chegar a Amesterdão como se fosses da casa, sem estrilho nas fronteiras e direito a fila privilegiada da "UE only"? Não gostaste de sentir.te menos marginal, mais aceite na sociedade das nações? Não gostaste de todo um país com tesão patriótica por causa dos triunfos da seleção nacional?


Enquanto Lisboa arde, 
o Rio de Janeiro pega fogo